Foi descoberta pelo psicanalista Herbert Freudenberger, nos anos 1970, após ter sido experienciada por ele mesmo. A Síndrome de Burnout caracteriza-se pelo esgotamento psicológico e, consequentemente, físico de um profissional. Pode ser por ele se dedicar demais ao seu trabalho diário. Ele vivencia situações estressantes e não percebendo o mal que elas podem estar causando a ele próprio.

síndrome de burnout

Burnout, do inglês, seria algo como “queimar por completo”. É uma analogia ao fato de que, não somente o psicológico, mas diversos sinais do desgaste na parte física da pessoa também costumam aparecer. Isso ocorre porque, muitas vezes, o seu trabalho não é reconhecido da forma que ela esperava . Ou ela começa a perceber diversos fatores no local de trabalho que vão contra os seus princípios.

Nesse caso, essa pessoa, que deveria se pronunciar, acaba guardando tudo isso dentro de si mesma. Pode começar a criar uma aversão pelo ambiente ao seu redor. Isso termina por fazer mal a ela mesma, que inicia um processo de estresse emocional, e também para o clima organizacional de sua área ou mesmo da empresa inteira.

A seguir, saiba mais sobre a Síndrome de Burnout, esse importante problema que pode estar afetando o bem-estar de seus funcionários e a produtividade de sua empresa.

Como saber se você está sofrendo da síndrome da exaustão?

Os sinais iniciais da Síndrome de Burnout, também conhecida como Síndrome de Esgotamento Profissional, podem ser confundidos com depressão.

Por essa razão, é interessante prestar atenção aos detalhes. Comportamentos agressivos, necessidade de isolamento, oscilações de humor, ansiedade, tristeza e pessimismo são características.

Some-se a isso dores de cabeça, cansaço, sudorese, aumento da pressão sanguínea, insônia, gastrite. Nas mulheres, até mesmo alterações no ciclo menstrual completam o quadro no nível físico.

Uma consulta com um psicólogo é importante para diagnosticar corretamente o problema. O tratamento, depois de verificada a causa corretamente, inclui sessões de terapia e, até mesmo, o encaminhamento do paciente à um psiquiatra.

Cuidar da alimentação, praticar atividades físicas aeróbicas, como corrida ou caminhada, além de exercícios para relaxar, são procedimentos indicados. já que ajudam a combater o estresse que a Síndrome de Burnout costuma causar.

Síndrome de Burnout: os sinais podem estar em seus colaboradores

Profissões que lidam diretamente com pessoas, como enfermeiros, professores e policiais costumam ser as mais afetadas. Mas isso não exclui as pessoas que trabalham em escritórios. Jornalistas, publicitários e arquitetos também são propensos a desenvolver essa síndrome, principalmente os que trabalham virando noites.

Portanto, preste atenção nos sinais descritos a seguir, e veja se algum dos seus colaboradores se encaixa nesse quadro.

  • Seu sobrenome é trabalho. Ele aceita qualquer tarefa sem reclamar e nunca diz que ‘não’ para nada. Ele fica na empresa até a hora que for necessário, como se não tivesse família nem vida social. Preste atenção nessa pessoa, pois ela pode estar sobrecarregada e não tem coragem de dizer. Chame-a para conversar e procure saber se está tudo bem com o volume de tarefas que ela está executando.
  • Esta pessoa já pediu aumento de salário mais de uma vez, nos últimos 6 meses e, mesmo que tenha conseguido o aumento, segue comportando-se de forma mau humorada e conversa cada vez menos com seus colegas. Além disso, já pediu para ser trocada de setor por algum motivo que não justificasse a troca. Chame-a para uma reunião e descubra se ela está insatisfeita com a empresa ou se o problema é maior que isso.
  • O indivíduo começou a faltar dias seguidos, apresentando atestados médicos de gripe ou alegando falecimentos na família com certa frequência. Fique atento, principalmente, se esse colaborador não costumava faltar ao trabalho. Uma conversa adequada com ele pode ser decisiva para saber se ele está com os sintomas da Síndrome de Burnout.

Portanto, fique atento!

Se você se encaixou em algum dos sintomas ou se seus colaboradores parecem estar passando por isso, é indicado procurar um terapeuta. Fazer exercícios físicos, tentar sair e se divertir mais, conversar mais com seus colegas de trabalho, melhorar a alimentação e até mesmo buscar alguma prática religiosa e espiritual são outras maneiras de tentar evitar a síndrome.

A Síndrome de Burnout já atinge mais de 30% dos trabalhadores brasileiros. Dados indicam que a falta de produtividade causada por essa síndrome gera um prejuízo de 3,5% de nosso PIB. Por isso, lideranças e equipes de RH devem estar atentas aos sintomas nos colaboradores, ajudando-os a lidarem com essa síndrome que, em 49% dos casos, leva ao desenvolvimento da depressão.

Você já conhecia os sintomas da Síndrome de Burnout? Conhece alguém que já passou por essa situação de esgotamento profissional? Compartilhe sua mensagem nos comentários!

Síndrome de Burnout: você já ouviu falar?
Classificado como:        

3 ideias sobre “Síndrome de Burnout: você já ouviu falar?

  • 01/07/2017 em 07:15
    Permalink

    Está síndrome cujo o nome eu não sabia até agora , é muito comum entre executivos e gerentes de nível médio e acima ,em empresas que trabalham com implantação de projetos .A pressão por inovação ,prazos e orçamentos apertados, a busca por soluções de contorno para resolver os problemas e outros fatores estressantes ,
    são características desta área de trabalho . Se for realizado um pesquisa neste setor , onde existe muitos profissionais altamente qualifivados ,podera se constatar o que estou informando .

    Resposta
    • 03/07/2017 em 11:35
      Permalink

      É verdade, Carlos. Muitas vezes a síndrome de Burnout não chega a ser diagnosticada corretamente. Por esse motivo, é muito importante consultar um profissional de saúde qualificado.
      Se você se interessou por esse tema, talvez também queira saber um pouco mais sobre Síndrome do Impostor. Você já ouviu falar dela?

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *