A matriz 9 Box é muito utilizada no mundo corporativo. A proposta de identificar talentos de forma simples chamou a atenção das empresas que buscavam conhecer seu colaborador de forma mais objetiva. Entretanto, será que esse é mesmo um método eficiente para promover uma cultura de alta performance?

No post de hoje, falaremos sobre o que é a matriz 9 Box e por que sua eficácia está sendo questionada.

matriz 9 Box

O que é matriz 9 Box?

A matriz 9 Box é uma estratégia para medir o desempenho do profissional e o seu potencial de desenvolvimento. Ela é tridimensional, ou seja, possui três níveis de classificação: baixo, médio e alto. Pode ser criada em ferramentas como o Excel ou utilizada através de programas específicos.

Ela serve tanto para uma medição individual quanto para uma de equipe. Atribui-se a ela ainda a capacidade de apontar quem está preparado para subir de cargo ou para ganhar uma bonificação. Também é usada no caso de uma oferta de treinamento ou de uma demissão. Ou seja, ela é a base para a tomada de decisões.

Na matriz, o eixo horizontal é o do desempenho. Nele é colocado o nível de desempenho do colaborador em relação às demandas dadas pelos gestores. Já o eixo vertical é o do potencial. A classificação do colaborador é dada pela sua capacidade de realizar tarefas de maior complexidade.

Com a junção dessas informações, a matriz gera o resultado de cada profissional. Ele pode ser um entre nove quadros: diamante bruto, forte desempenho, alto potencial, questionável, mantenedor, forte empenho, insuficiente, eficaz e comprometido.

Pontos questionáveis na matriz 9 box

A matriz 9 Box foi idealizada para ser entendida e aplicada de forma muito simples. Ela também produz resultados em curto prazo e é uma forma de fazer o planejamento da sucessão de cargos altos na empresa. Além disso, facilita a definição de estratégias para melhorar o desenvolvimento de cada profissional.

Mas, se ela parece ser tão vantajosa, por que está sendo questionada?

O primeiro tópico controverso é o fato de medir o potencial de alguém. Afinal, é impossível medir algo que é subjetivo. Além disso, como comparar potenciais quando há diferentes gestores aplicando a matriz 9 Box que podem ter visões distintas do que é o melhor potencial?

Outro ponto é: cada funcionário é colocado em uma divisão e definido a partir dessas segmentações. Assim, cria-se uma espécie de rotulação. Sempre haverá o profissional “de ouro” da empresa – de alto potencial – e o profissional “ovelha negra” – de baixo potencial.

A matriz também é questionada por criar um ranking dos colaboradores, compará-los e dividi-los abertamente. O grupo considerado com maior potencial recebe privilégios, enquanto o considerado com menor potencial é desmoralizado. Isso pode fazer com que o processo de desenvolvimento profissional seja prejudicado por um sentimento de ameaça e inferioridade. Mas, é claro, tudo depende de como a gestão lida com esses resultados.

E você? Aposta na eficácia da matriz 9 Box ou acha que ela possui falhas? Conta para a gente nos comentários! Até mais!

 

Matriz 9 Box: entenda por que ela pode não ser a melhor opção
Classificado como:        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *