Employee Lifetime Value: o que você precisa saber sobre essa estratégia

Muitos líderes e profissionais de RH se dedicam à elaboração de estratégias que permitam o crescimento sustentável por meio das pessoas. O capital humano pode ajudar na solução dos problemas da organização. Afinal, saber como atrair e motivar pessoas é fundamental para alcançar objetivos e se diferenciar dos concorrentes. Mas, para conseguir fazer isso, é preciso conhecer o conceito de Employee Lifetime Value (ELTV).

O ELTV representa o valor líquido total que um colaborador traz para uma organização ao longo do tempo.

Então, colocar essa estratégia em prática e encontrar maneiras de maximizá-la pode trazer grandes resultados para o seu negócio.

E é sobre isso que falaremos no post de hoje. Em seguida, conheça o que é Employee Lifetime Value e como utilizá-lo para garantir a produtividade e engajamento dos seus colaboradores.

ELTV

Por dentro do ELTV

Todo colaborador passa por um ciclo dentro da organização. Assim, a trajetória do colaborador, ou Employee Lifecycle, inclui a fase de recrutamento, seleção, treinamento, o dia a dia no qual ele cumpre seu papel. Também o momento em que ele decide buscar novas oportunidades e sair da empresa.

Dessa forma, o Employee Lifetime Value é uma maneira de mensurar o retorno que cada funcionário traz para o negócio durante toda a sua trajetória.

Por isso, o time de gente e gestão é responsável por acompanhar o ELTV de perto para ter uma visão precisa a respeito do ROI (Retorno of Investment) dos membros das equipes. Além disso, é preciso garantir a otimização de cada uma das fases do ciclo de permanência. Assim, resultados mais positivos são alcançados e a empresa prospera por meio do capital humano.

Como funciona o Employee Lifecycle

A trajetória do colaborador pode ser resumida em quatro momentos. Ou seja, o começo, quando ele contribui totalmente, a decisão de saída e o último dia. Em cada etapa, ele produz de maneiras diferentes, tendo resultados distintos que precisam ser acompanhados e mensurados.

A seguir, explicaremos cada um desses momentos da trajetória que compõem o ELTV.

Começo

Nessa etapa, o resultado do colaborador é geralmente negativo. Isso ocorre pois ele está chegando na organização e ainda não colaborou ativamente com o time. Entretanto, já foram feitos investimentos financeiros (e de tempo) para o seu recrutamento, seleção e treinamento.

Contribuindo totalmente

Assim, passado o tempo de adaptação, o colaborador encontra-se totalmente integrado, cumprindo seu papel na empresa e contribuindo para os resultados do negócio.

Decisão de saída

Ao longo da sua trajetória, o colaborador pode começar a considerar outras opções de emprego. Aliás, pode ser que o clima organizacional não esteja bom ou que ele não compartilhe dos mesmos propósitos do negócio. A partir do momento no qual ele decide sair, a sua produtividade e motivação tendem a começar a baixar.

Último dia

Por fim, essa etapa representa o momento no qual o colaborador sai da organização. Nesse momento da jornada, o resultado é zero.

Como obter melhores resultados para o seu ELTV

Mas, para conquistar um retorno de investimento mais positivo, é preciso otimizar cada uma das etapas do ciclo.

Portanto, durante o começo é fundamental maximizar o aprendizado do colaborador para que ele possa começar a colaborar com a equipe mais rapidamente.

Na etapa seguinte, o colaborador está apto para contribuir totalmente. Por isso, é importante incentivar seu crescimento por meio de treinamento, autonomia e incentivo à soluções criativas para obter melhores resultados e um retorno maior.

Feito isso, nada de ficar esperando pelo momento da decisão da saída! É preciso focar em estratégias que garantam que os colaboradores melhorem com o tempo. Além disso, é essencial investir na retenção de talentos para garantir que a permanência dos colaboradores seja maior, diminuindo o turnover.

Convencido? Quer saber como colocar isso na prática e melhorar o Employee Lifetime Value do seu negócio? Siga os seguintes passos e crie um plano de ação para cada etapa:

Onboarding

Para que o tempo de integração do novo colaborador com o time seja menor, é preciso investir no desenvolvimento de um programa de onboarding. A adaptação impacta toda a trajetória do profissional. Caprichar nesse momento ajuda a aumentar as chances de ele permanecer na empresa por um longo período.

Por exemplo, quem nunca começou a trabalhar e, de cara, se deparou com uma pilha de documentos em um canto da mesa e que ninguém sabia para que eles serviam? Ou então precisou se “quebrar” para poder atender às demandas, por não ter sido ambientado à rotina do negócio?

A empresa deve fazer a sua parte para garantir que todos sejam bem-recebidos e amparados. Nesse momento, todas as informações a respeito da cultura da empresa e do código de conduta são passadas. É interessante contar com a própria equipe para tirar dúvidas, transmitir conhecimentos e informações e socializar. Tudo isso ajuda a diminuir o tempo de adaptação e a acelerar os resultados.

Contratação

Uma boa contratação é o primeiro passo para manter um time de alta performance. Contratar as pessoas certas aumenta o nível de engajamento e entrega do colaborador desde o início.

Além de ter o efeito de atrair outros profissionais, a contratação melhora o Employee Lifetime Value, reduzindo a rotatividade e diminuindo custos com demissões e com a abertura de novos processos seletivos.

Gestão e Desenvolvimento

Desenvolver uma gestão estratégica de recursos humanos ajuda a aumentar o valor que um colaborador traz para o negócio.

Investir em avaliações de desempenho, treinamento e feedback é fundamental para desenvolver pessoas. E, o retorno ocorre por meio da qualidade das entregas dos colaboradores para a empresa como um todo.

Gestão e Cultura

A cultura está diretamente ligada à retenção de talentos. Investir no ambiente e na cultura do negócio aumenta os pontos do Employee Lifetime Value.

Para isso, é preciso melhorar processos – como o desenvolvimento de lideranças, o monitoramento do clima organizacional e a disseminação da cultura organizacional. E, em caso de demissões, realizar entrevistas de desligamento para colocar melhorias em prática.

Algumas empresas perceberam que o Employee Lifetime Value pode ser otimizado. A Greenhouse, por exemplo, dá dicas de como entender o ROI por meio do ELTV.

Melhorar cada uma das etapas da trajetória do colaborador dentro da empresa é fundamental para reduzir custos, maximizar a produção e potencializar os níveis de engajamento e motivação do seu negócio!

E você, já aplica o Employee Lifetime Value em sua empresa? Tem alguma dica para compartilhar? Deixe um comentário e até a próxima!

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Begin typing your search term above and press enter to search. Press ESC to cancel.

Voltar ao topo