Mentoria reversa: o que é e como aplicar na sua empresa

Mentoria reversaQuando se ouve falar em mentoria, é comum vir à mente a imagem de alguém muito experiente orientando alguém mais jovem, não é mesmo? No entanto, essa é apenas uma das possibilidades. Muitas empresas, em busca de um ambiente de trabalho mais integrado, com menos conflitos entre gerações e mais colaboração, estão adotando a mentoria reversa.

Como a denominação sugere, nessa ação há uma troca de papéis, possibilitando que gestores possam também aprender com profissionais iniciantes sobre diversos aspectos. E isso pode ser bastante positivo em um contexto de ambiente laboral cada vez mais heterogêneo e diverso.

De fato, o ManpowerGroup prevê que já em 2020 a força de trabalho será composta por um mix diferente entre as gerações, sendo 6% de Baby Boomers, 35% da Geração X, 35% de Millennials e 24% de Geração Z.

E então, que tal saber mais sobre essa ideia, seus benefícios e conferir boas práticas para adotá-la em sua empresa? Para isso, confira as dicas que apresentaremos no artigo de hoje.

Afinal, o que é mentoria reversa?

Em linhas gerais, a mentoria reversa é quando alguém mais jovem é desafiado a assumir uma posição de ensinar algo para alguém mais experiente. Em empresas de todo o mundo, ela está sendo aplicada para jovens funcionários orientarem executivos e gestores sobre assuntos estratégicos e culturais, sobretudo no que diz respeito à comunicação, tecnologia, internet, inovação.

O conceito de mentoria reversa no trabalho é creditado ao guru Jack Welch. Ainda nos anos 1990 ele implementou um programa de mentoria reversa na General Electric para que jovens funcionários treinassem colegas seniores quanto ao uso de novas ferramentas tecnológicas.

De lá para cá, as possibilidades desse tipo de iniciativa aumentaram. Nos programas de mentoria reversa, além de questões mais voltadas a ferramentas e tecnologias modernas, é possível compartilhar conhecimentos e insights sobre os valores das novas gerações, novas metodologias de gestão, visão de mundo, cultura do compartilhamento, entre tantas outras coisas.

Tudo isso ajuda a aproximar gerações e culturas diferentes, contribuindo para um ambiente de trabalho mais saudável, colaborativo e uma equipe mais motivada e engajada.

Benefícios potenciais dessa prática

A mentoria reversa pode ajudar pessoas e organizações de diversas formas. Entre os benefícios potenciais desse programa, podemos destacar:

  • Desenvolver uma visão mais empática entre os funcionários participantes, promovendo uma transformação expressiva nas relações laborais.
  • Melhorar a integração entre colaboradores e entre as diferentes gerações presentes em seu time.
  • Fomentar a formação de novos líderes.
  • Incentivar uma cultura de aprendizado constante.
  • Promover um ambiente de trabalho mais acolhedor, tolerante e colaborativo.
  • Aumentar o nível de atualização profissional dos gestores mais experientes e contribuir para o amadurecimento dos profissionais mais jovens.
  • Humanizar a figura do líder.
  • Melhorar o clima organizacional.
  • Criar pontes e reduzir distâncias entre as gerações.
  • Fomentar uma cultura organizacional de compartilhamento, cocriação e valorização da diversidade.
  • Tornar a empresa mais atrativa para captar e reter talentos das novas gerações – como os Millennials.

5 dicas para aplicar mentoria reversa na sua empresa

Você pode optar por, primeiramente, fazer um teste-piloto, com um gestor e um colaborador que estejam dispostos e alinhados com esse tipo de iniciativa. A partir do aprendizado trazido por essa experiência, ficará mais fácil modelar um programa bem-sucedido.

Também é possível iniciar uma primeira versão tomando cuidados como:

Torne a adesão voluntária

Para esse tipo de iniciativa atingir todo o seu potencial, é preciso interesse, envolvimento e comprometimento genuíno entre os participantes. E isso não se alcança por métodos impositivos.

Por isso, torne voluntária a adesão ao programa de mentoria reversa, criando ações de comunicação interna para deixar claro o que é, os propósitos e os benefícios da iniciativa, estimulando quem, de fato, está pronto para participar, a aderir ao programa.

Faça um treinamento preparatório antes de iniciar a mentoria

Essa etapa é bastante importante. De acordo com uma pesquisa, sem o treinamento, somente 1/3 das relações entre mentor-mentorado tornam-se bem-sucedidas – esse índice aumenta para 2/3 com o treinamento.

Isso porque, nesses encontros, são abordadas questões como a preparação dos novos mentores para estruturar as sessões com seus mentorados, além de sensibilização para que os gestores, por uma tendência natural, não liderem a dinâmica dos encontros e as conversas.

Esclareça sobre a importância da definição dos objetivos dos mentorados

Para que o programa seja satisfatório a todos, é importante que o mentorado defina com clareza seus objetivos com essa inversão de papéis. Isso ajudará o mentor a guiar os tópicos das sessões e a trazer novidades e informações que estejam alinhadas com a expectativa de aprendizado do gestor.

Não crie combinações aleatórias

Outro fator que impacta bastante nos rumos de uma mentoria reversa é a combinação certa entre mentor e mentorado. É importante que eles sejam de equipes diferentes, para que assuntos do departamento não atrapalhem os momentos de mentoria e para que o raio de aprendizados para ambas as partes seja maior.

A partir do tipo de objetivo traçado pelo executivo, ficará mais fácil também de detectar o jovem talento que possa contribuir com mais facilidade e propriedade para promover tal aprendizado.

Ainda, considere levar em conta outros elementos que poderiam favorecer e acelerar a criação de um vínculo. Por exemplo, ambos são ex-alunos da mesma universidade? Eles compartilham uma paixão pelo mesmo esporte? Ambos são leitores vorazes?

Embora esses pontos em comum possam parecer um pouco superficiais, eles podem ajudar a promover um senso compartilhado de identidade e compromisso com a mentoria e a “quebrar o gelo” nos primeiros encontros.

Proporcione um espaço permanente para suporte aos jovens mentores

A experiência de compartilhar conhecimentos e ajudar a orientar alguém, por si só, tende a ser muito recompensadora. No entanto, também pode ser desafiadora, principalmente no início do projeto.

Por isso, pode ser bastante positivo oferecer um espaço para que os jovens troquem ideias e experiências com outros mentores, ajudando seus pares com as inseguranças e eventuais dificuldades que possam surgir.

E então, o que você achou da ideia de implementar a mentoria reversa em sua empresa? Quais benefícios e desafios esse tipo de iniciativa apresenta em sua opinião? Deixe sua mensagem nos comentários.

(Visualizado 875 vezes, 1 visualizações hoje)
Compartilhe

One thought on “Mentoria reversa: o que é e como aplicar na sua empresa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Begin typing your search term above and press enter to search. Press ESC to cancel.