People analytics no RH: 5 casos de sucesso para inspirar a sua empresa

O interesse em análise de pessoas está aumentando cada vez mais e no futuro o people analytics no RH será a principal forma de se trabalhar no setor. Já vimos os benefícios do people analytics e como aplicá-lo na sua empresa. Mas você deve estar se perguntando: será que funciona mesmo? Aliás, vale a pena aplicar esse método?

 

people analytics no RH

 

No blogpost de hoje vamos destacar alguns casos de sucesso em people analytics que podem servir de inspiração para o seu negócio.

Casos de sucesso de people analytics no RH

Caso 1 people analytics no RH: Google

Algumas empresas já estavam experimentando o uso de dados em RH. Mas foi o Google que popularizou e deu o nome people analytics no começo dos anos 2000.

Alguns materiais interessantes para entender como foi a construção e crescimento de people analytics no Google é o livro Um novo jeito de trabalhar (Work Rules) de Laszlo Bock, ex-chefe de RH da empresa, e o artigo Open Sourcing Google’s HR Secrets.

Uma das aplicações mais conhecidas de people analytics no RH do Google foi o Project Oxygen. Uma pesquisa que tinha como objetivo entender se gestores fazem realmente a diferença em um time. Para isso, as informações foram colhidas diretamente no nível operacional por um período de 5 anos.

Enfim, com os dados coletados, chegou-se à conclusão de que realmente os gestores influenciam em indicadores de desempenho, satisfação e retenção.

Além disso, o estudo possibilitou a definição de 8 características de um bom gestor, chamados “8 oxigênios dos grandes gestores”.

Com esse estudo de people analytics, insights valiosos foram produzidos. A princípio impactaram o apoio a decisões relacionadas a recrutamento, avaliação e treinamentos dentro do Google, e depois também em outras organizações.

Caso 2: Nielsen

A Nielsen, empresa global de pesquisa de mercado, já alcançou um impacto significativo nos negócios com o people analytics no RH.

Porém em 2015 a Nielsen encontrou um grande problema: por que as pessoas estão deixando as equipes?

Primeiramente Piyush Mathur, líder do programa de People Analytics, resolveu iniciar uma análise e em poucos meses conseguiu identificar os principais fatores de atrito voluntário dentro da empresa.

Em seguida com os dados em mãos, a empresa criou vários programas para reduzir os atritos. Inclusive implementaram conversas dos líderes com os colaboradores com atributos identificados com maior probabilidade de deixar a empresa nos próximos meses e o resultado foi que 40% do grupo foi transferido para novas funções.

Dessa forma, a Nielsen reduziu o desgaste voluntário pela metade e economizou milhões de dólares.

Esses insights sobre os principais fatores que afetam o desgaste na empresa e soluções viáveis ​​e resultados mensuráveis estão no livro The Power of People, de Nigel Guenole, Jonathan Ferrar e Sheri Feinzig.

Caso 3: IBM

A IBM é considerada uma das organizações líderes em todo o mundo quando se trata de people analytics.

Logo, quando a empresa precisou revisar seu método de avaliação de desempenho, decidiu colher feedbacks na rede social interna pedindo a opinião dos colaboradores sobre um novo sistema.

Isso foi feito através da plataforma Social Pulse com análise de sentimentos, identificando e analisando os comentários por palavras-chave. Assim, foi possível concluir quais problemas os colaboradores enxergavam no método de avaliação e o RH conseguiu entender e reverter as causas das insatisfações.

Como resultado, a IBM teve outros sucessos em people analytics, também por incentivo contínuo da CHRO, Diane Gherson. Ao passo que um artigo destacando sua crença de que a análise é fundamental para o RH, para o negócio e para o colaborador pode ser encontrado aqui em People Matters.

Caso 4: Fundação José Luiz Egydio Setúbal (Hospital Sabará)

A Fundação José Luiz Egydio Setúbal tinha o desafio de dar voz aos colaboradores e realizar uma pesquisa de clima contínua. Afinal, queria refletir sua preocupação genuína com os colaboradores e incluí-los no processo decisório.

Então a Instituição entendeu que a jornada de gestão de engajamento da Vaipe era a mais adequada. Uma vez que a metodologia contínua possibilita ações em menor tempo e foi considerada pelos líderes a mais vantajosa por oferecer resultados em tempo real.

Além de permitir a inclusão dos colaboradores no processo decisório através de comentários anônimos com sugestões de melhoria. E também por promover o reconhecimento por meio da solução de Colega Inspirador.

Com mais de 260 mil interações desde o início da jornada, a fundação:

  • atingiu 66 pontos no eNPS (de uma escala de -100 a 100)
  • evoluiu mais de 15 pontos percentuais nos maiores desafios de engajamento
  • proporcionou mais de 8.321 indicações de Colega Inspirador entre os colaboradores

Ademais, através do CHAT RH os colaboradores enviam comentários anônimos elogiando a pesquisa, as ações executadas pela Fundação e buscam apoio sempre que necessário.

Clique aqui para ver o case completo!

Caso 5: ATW Delivery Brands

O ATW Delivery Brands pretendia criar uma cultura de feedback e reconhecimento entre os colaboradores. Portanto, o desafio era impulsionar as pessoas a se ajudarem mutuamente e construir relacionamentos fundamentados em confiança, lealdade, compreensão e respeito por meio da jornada de engajamento.

A organização também escolheu as soluções de reconhecimento da jornada de engajamento da Vaipe para ajudar os colaboradores a construírem essa cultura. Ao mesmo tempo que os comentários anônimos das perguntas semanais da metodologia contínua de gestão do engajamento criaram um canal aberto e seguro entre colaboradores e tomadores de decisão.

Como resultado, o ATW:

  • passou de uma média de 0,4 para 4,9 feedbacks por colaborador entre o primeiro e o segundo semestre de 2020, somando um total de 1.445 feedbacks trocados
  • as indicações de Colega Inspirador tiveram um aumento de 48% no mesmo período: acumulando a média de mais de 70% de adesão, totalizando 325 indicações
  • a empresa recebeu o selo de TOP Engajada da Vaipe por 11 meses em 202
  • obteve uma média total de engajamento no eNPS de 66 pontos (de uma escala de -100 a 100).

Clique aqui para ver o case completo!

Quer começar a tomar decisões mais assertivas com base em dados e transformar o RH da sua empresa? Teste a plataforma da Vaipe por 14 dias grátis!

Quais são os seus maiores desafios na gestão de pessoas? Conta para a gente aqui nos comentários!

(Visualizado 326 vezes, 1 visualizações hoje)
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Begin typing your search term above and press enter to search. Press ESC to cancel.