Tendências de RH para 2022: 7 práticas que impactarão o futuro das organizações

O ano de 2021 está chegando ao fim e o setor de Gente & Gestão precisa se preparar para as tendências de RH para 2022. Até porque, devido à pandemia, nos últimos dois anos o mercado vem se transformando mais rápido do que de costume.

Mas afinal, qual será o papel do RH em 2022 em um cenário pós-pandemia?

tendências de rh para 2022

Tendências de RH: refletindo sobre 2021

Recentemente a EngageRocket publicou o The HR 2022 Outlook, um relatório que destaca as 7 principais tendências de RH para 2022.

O relatório da EngageRocket identificou que após um período de melhora, houve um regresso com declínio de 17% em colaboradores confiantes no futuro de sua organização entre 2020 e 2021 e queda também nos níveis de resiliência e saúde mental.

Por isso, as tendências de RH para 2022 serão totalmente voltadas a colocar colaboradores no centro.

7 tendências de RH para 2022 (segundo o relatório The HR 2022 Outlook)

Tendências de RH para 2022 – tendência 1: foco no “novo trabalho”

Antes de tudo, o “novo trabalho” é uma nova visão em que a pessoa entende seu trabalho como mais do que um emprego remunerado, e essa perspectiva foi acelerada durante a pandemia. Ou seja, agora há um foco no propósito, realização e bem-estar, o que inclui o salário emocional.

Porém, muitas empresas ainda não reconheceram a importância dessa abordagem.

Até porque uma pesquisa da Gartner mostra que 75% da liderança acredita que segue uma cultura de flexibilidade, mas apenas 57% dos colaboradores concordaram. Também 75% da liderança sentiu que incorporou a voz do funcionário na tomada de decisões, enquanto apenas 47% dos funcionários concordaram.

Portanto, há uma clara discrepância entre as práticas do RH e da liderança e o sentimento das pessoas. Nesse sentido, como uma das tendências de RH para 2022 as organizações precisam adequar suas estratégias às mudanças do “novo trabalho”.

Ações em foco:

  • Desenvolver uma estratégia de comunicação bidirecional:
    Em primeiro lugar, escute as pessoas e baseie futuras comunicações nesses insights, criando uma cultura de feedbacks frequentes.
  • Implementar uma escuta contínua com a Vaipe:
    Da mesma forma, aplique pesquisas contínuas para entender como está o engajamento de colaboradores. Com o Termômetro de Engajamento da Vaipe você entende como está o engajamento das pessoas e com a Pesquisa Pulse Contínua você se aprofunda em quais fatores específicos estão impactando o engajamento dentro da sua empresa.

  • Possibilitar mais conversas entre colaboradores e liderança:
    Inegavelmente momentos de trocas entre colaboradores e liderança permite identificar e solucionar problemas mais rapidamente.

Tendência 2: investimento em retenção de talentos

Muitas empresas são conhecidas como principais empregadoras em uma região, e outras que não investem em retenção de talentos estão ficando para trás.

Assim sendo, em 2022 o RH precisa dobrar seus esforços para recrutamento e retenção de talentos. Isto é, reforçar a marca empregadora e proporcionar um ambiente de trabalho atraente para antigos e novos colaboradores.

Inclusive, isso inclui principalmente flexibilidade, digitalização e escuta ativa. Além de ser um fator comprovado para retenção, a flexibilidade permite contratações além das fronteiras locais.

Já a digitalização não é apenas essencial para a produtividade no trabalho remoto, mas também para recriar uma conexão humana real em um ambiente remoto ou híbrido.

Logo, o mais importante é ouvir as pessoas para garantir que essas ações sejam mantidas de acordo com suas necessidades.

Ações em foco:

  • Formular planos de carreira e desenvolvimento individual:
    Promova conversas entre colaboradores e liderança, priorize diversidade e inclusão e não restrinja a progressão na carreira apenas a funções gerenciais.
  • Incentive o reconhecimento e engajamento por meio de atividades fora do trabalho e a capacidade de se desconectar depois do expediente:
    Por certo, isso ajudará a aumentar o engajamento, fazendo com que cada pessoa sinta que é mais do que a soma de seus resultados de produtividade.
  • Reconhecimento com a Vaipe (Colega Inspirador):
    Em suma, o Colega Inspirador estimula a troca de reconhecimento entre as pessoas dentro da organização. A ferramenta permite indicar qual colega foi mais inspirador naquele mês, e quem foi indicado recebe a indicação, o elogio enviado e ainda pode compartilhar no Facebook e Linkedin! Teste nossa plataforma grátis por 14 dias!

Tendência 3: investimento em saúde mental

Em 2022, as empresas terão que fazer investimentos no cuidado com a saúde mental das pessoas, garantindo que permaneçam resilientes e confiantes em relação a novos desafios e oportunidades.

Isto é, organizações que investirem em saúde mental e resiliência terão um aumento na retenção, produtividade e até recrutamento de pessoas.

Ações em foco:

  • Crie um clima de segurança psicológica:
    Sobretudo, crie uma cultura em que todos se sintam seguros para expressar suas opiniões sem risco de repreensão.
  • Elabore políticas para reduzir o estresse:
    Práticas de saúde mental como benefícios voltadas para qualidade de vida ajudam a promover bem-estar.
  • Pesquisa Pulse Saúde Mental da Vaipe:
    A Pesquisa Pulse Saúde Mental da Vaipe é baseada no questionário DASS-21 e ajuda a entender os níveis de estresse e ansiedade da organização, além de identificar o impacto na qualidade do trabalho, engajamento e relacionamento entre as pessoas. Teste grátis por 14 dias!

Tendência 4: RH descentralizado e liderança com novas habilidades

Já falamos muito disso aqui na Vaipe, mas o grande protagonista na gestão de pessoas deve ser a liderança, e as tendências de RH para 2022 mostram exatamente isso.

Nesse sentido, de acordo com o relatório, a função do RH tipicamente centralizada deve ser transferida para líderes. Isso pode se aplicar tanto à estratégia e formulação de ações quanto a eventos e engajamento.

Então, a abordagem usada para analisar e promover liderança também precisa mudar. Uma vez que em vez selecionar “orquestradores de tarefas”, as empresas terão que promover aqueles com habilidades de liderança e coaching/mentoria.

Desse modo, esses profissionais ajudarão a desenvolver pessoas sem o controle centralizado e de cima para baixo do RH.

Ações em foco:

  • Repense os KPIs para avaliar liderança:
    Incentive a liderança a se concentrar no desenvolvimento de talentos e habilidades, em vez de apenas em competência operacional.O Termômetro de Liderança da Vaipe é uma pesquisa baseada no Projeto Oxygen do Google para que as pessoas expressem suas opiniões livremente sobre a liderança de forma anônima.
    Assim, líderes têm uma análise consolidada e assertiva de quais são os pontos positivos e quais são as características que precisam desenvolver.
  • Abandone a mentalidade de que liderança precisa ter todas as respostas:
    A princípio, líderes precisam ser contratados, treinados e promovidos com a mentalidade de que não precisam saber tudo.
  • Empodere a liderança com ferramentas e dados:
    Com as soluções da Vaipe, a liderança tem acesso people analytics em tempo real das pessoas de seu time para tomada de decisões mais assertivas. Teste a plataforma grátis por 14 dias e inicie uma jornada de engajamento!

Tendência 5: diversidade e inclusão (D&I) como um grande diferencial competitivo

De acordo com a McKinsey, as empresas no quartil superior em diversidade de gênero na liderança tinham 25% mais probabilidade de ter lucratividade acima da média do que suas contrapartes no quartil inferior.

Entretanto, infelizmente muitas organizações ainda precisam investir totalmente em diversidade e inclusão como um princípio cultural e operacional fundamental.

Ações em foco:

  • Censo de diversidade da Vaipe:
    O Censo de Diversidade mapeia as dimensões de cor/etnia, identidade de gênero, orientação sexual, deficiência, faixa etária, religião, região de nascimento, sócio-econômico e maternidade/paternidade. O censo possibilita ter uma fotografia de como as pessoas da empresa se enxergam, o que facilita o planejamento de ações de diversidade e inclusão.
  • Comunique a agenda de D&I a todas as camadas da organização:
    Já que a maioria das pessoas não sabe que a organização coleta e analisa dados de diversidade e inclusão,  um plano claramente comunicado garantirá adesão oportuna e execução apropriada.
  • Liderar pelo exemplo quando se trata de D&I:
    Ao mesmo tempo, incorpore ativamente D&I na seleção e treinamento de líderes para abordar a igualdade de gênero em funções de liderança.

Tendência 6: people analytics alimentará a adesão às ações e mudanças de RH

Em 2022, as organizações não podem mais adiar a implementação de people analytics. Embora haja movimentos na direção certa, há mais trabalho a ser feito. Analytics, tecnologia de trabalho virtual e plataformas de aprendizagem atualizadas estão entre as principais prioridades de RH.

Ainda mais porque “Habilidades de people analytics não vão ser mais legais de ter. Em vez disso, a expectativa será que todo BP de RH tenha um nível mínimo de competência de analytics, ou os times terão funções dedicadas a people analytics” – Sonaly Sharma, VP de People Science na EngageRocket

Ações em foco:

  • Abrace uma mudança de mentalidade da intuição para a orientada por dados:
    A intuição, a experiência anterior e uma intuição geral desempenharam um papel importante nas políticas de toda a organização. Com people analytics, o RH e os líderes podem tomar decisões informadas com mais confiança.
  • Treine as equipes de RH em análise, estratégia e geração de valor:
    60% dos CEOs e EVPs consideram o RH um administrador e não um gerador de valor, mas 74% dos CHROs discordam (dados KPMG). O treinamento e a implementação de people analytics podem ajudar a reduzir essa divisão.
  • Garanta que haja uma cultura de escuta contínua:
    Comunicações transparentes e obtenção de adesão de toda a organização para escuta contínua é uma forma de colher os benefícios de seu investimento em people analytics.

Tendência 7: novos KPIs de produtividade serão necessários para avaliar o desempenho das pessoas

Em 2022, os líderes de RH e de negócios precisam considerar medidas de produtividade mais adequadas para o “novo trabalho” e trabalho remoto/híbrido. Colaboração, comunicação, comportamento positivo na vida profissional e mentalidade de coaching podem ser os melhores indicadores de desempenho.

Ações em foco:

  • Pulse Home Office da Vaipe:
    Através de perguntas sobre produtividade, experiências com trabalho remoto, infraestrutura e comunicação, a Pulse Home Office monitora a performance, a percepção de pessoas colaboradoras e a relação das equipes em home office.
  • Adote um modelo de circuito fechado para análises de desempenho:
    Inclui feedback, calibração e compensação. Com a ferramenta Feedbacks Ilimitados da Vaipe, é possível escolher enviar um feedback positivo ou de melhoria a qualquer momento para qualquer pessoa da empresa e, através dos comentários, elogiar uma performance ou ressaltar pontos de desenvolvimento.
  • Combata o risco de preconceito à luz das novas métricas:
    Um sistema de revisão anônimo e multi-avaliador aumenta a confiabilidade das classificações de desempenho e mitiga o preconceito de julgamento de uma única pessoa.

Plataforma de people analytics: Vaipe

A Vaipe é uma plataforma de people analytics para gestão ativa de engajamento que, através de pesquisas digitais, dá voz aos colaboradores, empodera liderança e RH com dados assertivos e estimula a troca de reconhecimento e feedbacks.

Fontes:

Relatório EngageRocket: The HR 2022 Outlook https://www.engagerocket.co/whitepaper-employee-experience-2022-outlook?hsCtaTracking=b548cd82-3802-446a-9dcf-7b8f13dfd1c7%7C5ddd684c-eabb-40a7-855b-79eb46b53432#download 

Research Report The State of Employee Experience https://www.engagerocket.co/reportstate-of-the-employee-experience 

Gartner: Gartner HR Research Identifies Six Gaps Between Leader and Employee Sentiment on the Future Employee Experience. https://www.gartner.com/en/newsroom/press-releases/2021-08-04-gartner-hr-researchidentifies-six-gaps-between-leader-and-employee-sentiment-on-the-future-employee-experience

McKinsey: Diversity wins: How inclusion matters. https://www.mckinsey.com/featured-insights/diversity-and-inclusion/diversity-wins-how-inclusion-matters 

KPMG: The Future of HR in the New Reality. https://assets.kpmg/content/dam/kpmg/xx/pdf/2020/10/the-future-of-hr-in-the-new-reality.pdf

(Visualizado 1.590 vezes, 1 visualizações hoje)
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.